O melhor da culinária Libanesa.

Curiosidades

Falafel – O prato mais popular do Oriente Médio

O nome Falafel vem do verbo Árabe “falfala” que significa “condimentar”. A massa do Falafel contém a mais variada e equilibrada mistura de condimentos, resultando em um sabor incomparável e exótico. Consumido a qualquer hora do dia e encontrado nos quatro cantos das cidades do Oriente Médio, o Falafel pode ter surgido no Egito Faraônico e dali, viajado para a Península Arábica. No século XX, devido à descoberta do Petróleo, grandes ondas migratórias levaram milhares de famílias iemenitas para o Norte, a Arábia Saudita e o Kwait em busca de melhor sorte. Ao se instalarem, muitos montaram seus pontos de venda do Falafel nas esquinas da região. Assim, o Falafel ganhou espaço entre os trabalhadores que, ao voltar para a cidade de origem, abriram novos espaços que oferecia o prato. Hoje, o Falafel conquistou o paladar de um público exigente e tem seu lugar de destaque nos melhores cardápios em diversos restaurantes por todo o mundo.

 

historia-praca-dr-prado

A história da quadra da Cavalhada

Depois de ter sido soterrada nos anos idos de 1970, a Quadra da Cavalhada está sendo recuperada, resgatando um fato histórico que começou em meados da década de 1930 por iniciativa de jovens esportistas que não tinham onde praticar seus dotes atléticos.

Praça Dr. Prado

Domingo na Praça da Cavalhada

“Toda juventude escreve nas páginas do seu tempo, os momentos de sua posteridade.” 

        No Domingo, dia 24 de junho de 1958, o Brasil disputava a final da copa na Suécia. O jogo foi transmitido por rádio às 10 hs da manhã no Brasil e neste momento os times de futebol de salão da Cavalhada também jogavam sua partida final pelo campeonato juvenil que eles mesmos promoviam e que era apreciado pelos aficionados deste esporte e pela platéia de admiradores.

Ahmad

Chef Ahmad

Ahmad Kamal Issa, nasceu em São Paulo, no seio de uma família libanesa. Morou 10 anos no Líbano, período em que foi alfabetizado e formado pela cultura libanesa. Registrou nesse tempo, dias incontáveis passados à beira do fogão degustando as iguarias feitas pelas mulheres da família. Aqui no Brasil, também, seguindo os costumes de sua família, sempre esteve próximo à cozinha comendo e acompanhando os pratos preparados por sua mãe e irmãs.